"Só com a leitura um povo pode se tornar forte em sua cultura." (Rodrigo Poeta)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

5º lugar no VIIº CONCURSO POESIARTE 2013


*Nome: Nédia Sales.
*Poesia: Cumprindo Ciclos.
*Cidade que representa: Conceição do Almeida/BA.
*Pseudônimo: Ana Joaquina.
*Pontuação: 412 pontos.


-Veja a poesia, que ficou em 5º lugar no VIIº CONCURSO POESIARTE:



Cumprindo Ciclos

Retirar as cordas das gangorras,
Desmontar dos galhos, o alçapão.
Tanger as galinhas p’ro poleiro,
Transferir os brinquedos p’ro porão.
Fazer uma cobertura p’ros porquinhos
Arriar e esquecer a rede no chão...

Daqui a pouco chega o transporte
Trazendo os homens das motosserras.
A jaqueira tombará, e, após o corte,
Se transformará em portas e janelas.
Se ornará de aduelas, trancas de metal
E tintas artificiais deslizarão sobre ela.

Para trás ficarão as gangorras,
As redes, o alçapão e o poleiro,
Nossa cabana onírica, primitiva
Sombra e refúgio lá do terreiro.

Não dá nem tempo fazer poesia...

Pois a seiva, agora tinta endurecida,
Já sem suportar tamanha ventura,
Escorre assim feito lágrimas coloridas
Pelas gretas modernas das fechaduras.

(Pseudônimo: Ana Joaquina)



*Comentário feito pelo jurado Fernando Aires de São Paulo/SP:


"Excelentes versos, referentes à infância e ao bem estar, confortos da natureza, em contraste com a modernidade que as serras trazem cortando-lhe os troncos e promovendo o devido 'conforto urbano'."


(Fernando Aires - jornalista)



*Comentário feito pela jurada Cris Dakinis de São Pedro da Aldeia/RJ:


"Criativo, bom vocabulário e ótimas imagens."


(Cris Dakinis - escritora)



*Comentário feito pelo jurado Emanuel Carvalho de Natal/RN:


"Veja só a fidelidade poética como é tão importante na leitura, com a destruição de florestas, a devastação começa pelo poeta que precisa das folhas, dos troncos dos frutos... É não podemos mais permitir que o homem crie fechaduras envernizadas e enferrujadas. Se não fizermos nada o quanto antes o que será de nós poetas sem imaginar com a natureza bela para criação de poemas... Se nem tintas poderá ser fabricadas porque não existirá mais árvores... Pois ela é o nosso refúgio... "


(Emanuel Carvalho - escritor)


3 comentários:

geraldo trombin disse...

triste ciclo, mas uma bela obra... parabéns, nédia!

André L. Soares disse...

Nédia, boa tarde.

Parabéns pelo belíssimo poema e a merecida premiação.

Um beijo, poetisa-amiga!

maria da glória perez delgado sanches disse...

Belíssimo poema, Nédia! Soube descrever o findar de um ciclo com primor. Um grande abraço e parabéns pelo merecido prêmio.