"Só com a leitura um povo pode se tornar forte em sua cultura." (Rodrigo Poeta)

sábado, 14 de abril de 2018

BLOGS DIVULGANDO O XII CONCURSO POESIARTE

*Blog Dois pontos, reticências, etc do escritor carioca
Mario Rezende.

*Blog Cantinho das Ideias da poetisa Luciana Rugani
moradora de Cabo Frio/RJ.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

EDITAL DO XIIº CONCURSO POESIARTE DE POESIA




XIIº CONCURSO POESIARTE DE POESIA 



REGULAMENTO 

1. Participantes: 

1.1. Qualquer cidadão brasileiro ou estrangeiro, sendo que os poemas inscritos estejam em língua portuguesa. 

1.2. A idade mínima para participação do concurso é de 12 anos. 

2. Período de inscrição: 

2.1. Início: 13 de abril de 2018. 

Término: 07 de julho de 2018. 

2.2. As inscrições serão feitas por via e-mail. Serão só aceitas as inscrições até a data limite (07 de julho ) para: poesiarte@hotmail.com 

3. Categoria: 

3.1. Poesia – 1 (uma) por concorrente, com máximo de 3 (três) laudas (folhas). 

3.2. Os participantes poderão enviar sua poesia sem precisar de um padrão específico poético, ou seja, poderão enviar em forma de soneto, haicai, trova, elegia, poetrix, etc. 

4.Tema: “O CORAÇÃO”. 

4.1. O objetivo do tema é estimular a criatividade dos participantes, levando-os a uma reflexão para vida neste século. Uma homenagem a poetisa simbolista Nazareth da Cruz Gomes. 




4.2. Nazareth da Cruz Gomes nasceu em 30 de maio de 1877 na cidade de Saquarema/RJ filha do cronista e poeta Virgílio Aurélio Gomes e de Maria Carolina da Cruz Gomes, ambos de Barra de São João/RJ. Foi poetisa de estilo simbolista e pianista. Teve cinco irmãos sendo eles: Aurora, Augusta, Adelaide, Manuel e Linho, ambos de Barra de São João/RJ. Foi batizada em 15 de agosto de 1878 na cidade de Araruama/RJ, tendo como padrinhos Manuel Marinho Leão e Augusta (Manazinha). 


*Imagem do original referente ao poema O Coração escrito em 1894 

por Nazareth da Cruz Gomes.


Casou em 1903 com Secundino Teixeira Pinto de Laje de Muriaé/RJ passando a usar o sobrenome Pinto, seu esposo veio a falecer em 1941 em Laje do Muriaé/RJ. Nazareth da Cruz Gomes veio a falecer em 19 de novembro de 1950 na cidade do Rio de Janeiro/RJ. Ela teve 14 filhos e dos quais só quatro se tem o registro em pesquisa genealógica. São eles: Manoel, Noemia, Dinah e Isabel. 


5. Textos: 

5.1. Deverão ser escritos em língua portuguesa (idem ao item 1.1), digitados em página branca tamanho A4, utilizar fonte Arial ou Times New Roman tamanho 12 e espaço 1,5. 

5.2. Não serão aceitos trabalhos manuscritos. (ver item 3.1) 

5.3. Os trabalhos deverão ser inéditos, isto é, ainda não publicados em nenhum meio de comunicação ou em livro e principalmente por sites ou blogs na internet. 

5.4. Os textos deverão conter exclusivamente o título da obra e o pseudônimo do autor. 

5.5. Os pseudônimos não deverão guardar qualquer semelhança com o nome, apelido ou outro fator de identificação do concorrente, pois se houver o inscrito será eliminado. 

5.6. Não serão aceitas inscrições de paródias ou paráfrases. 

5.7. Casos de plágios serão denunciados pela organização do concurso. 

6. Apresentação dos trabalhos por via e-mail deverá seguir o modelo abaixo da ficha de inscrição: 

*Segue o modelo de ficha de inscrição: 

Nome completo; 

Cidade de origem: 

Data de nascimento completa: 

Cidade que representa: 

Atividade que ocupa: 

Título do poema: 

Pseudônimo: 

E-mail: 

Endereço postal: 

6.1. Caso o inscrito não preencher devidamente o formulário acima não estará qualificado para o certame do concurso. 

6.2. Os trabalhos que não obedecerem às regras deste concurso serão automaticamente desclassificados. 

6.3. Os poemas enviados por via e-mail deverão estar em documento Word, seguindo as especificações do item 5.1. 

6.4. Não serão aceitas inscrições através de PDFS ou digitalizações. 

7. Julgamento: 

7.1. O corpo de jurados será formado por profissionais da área, altamente qualificados pela Comissão Organizadora do Concurso, que serão conhecidos e apresentados brevemente no blog: 

http://concursopoesiarte.blogspot.com/ 


7.2. As decisões do júri são soberanas e irrecorríveis. 

7.3. Serão ainda critérios para o julgamento das obras inscritas: 

a) Vocabulário. 

b) Conotação (uso de figuras de linguagem). 

c) Ritmo. 

d) Intertextualidade. 

e) Criatividade. 

7.4. Cada item acima valerá 20 pontos, o somatório de todos os itens é de 100 pontos. 

7.5. Serão 06 (seis) jurados para 1ª etapa, onde sairão 10 finalistas para etapa final; outros 06 jurados farão suas avaliações e irão comentar cada obra finalista, dando o resultado final após o somatório dos pontos. 

7.6. Manter o texto dentro das dimensões propostas no Regulamento. 

7.7. Não serão aceitos trabalhos fora do tema estipulado. 

7.8. Trabalhos com menções pornográficas, preconceituosas (cor, raças, sexo, religião, etc) serão automaticamente eliminados pelo júri. 

7.9. A comissão organizadora decidirá sobre as omissões deste regulamento, depois de ouvida a opinião do júri. 

8.Divulgação dos resultados: 

8.1. A divulgação dos poemas inscritos com os seus pseudônimos será feita através do blog do concurso. 

8.2. O resultado da 1ª etapa, que divulgará os finalistas será no dia 14 de julho de 2018. 

8.3. O resultado final do concurso será no dia 21 de julho de 2018. 

8.4. Tudo será divulgado no blog do concurso. 

8.5. Caso ocorra atrasos nos resultados as datas serão modificadas e os inscritos saberão através do blog. 

9. Premiação: 

9.1. O primeiro colocado receberá um diploma, dois livros e medalha. 

9.2. O segundo colocado receberá um diploma, um livro e medalha. 

9.3. O terceiro receberá um diploma, um livro e medalha. 

9.4. Caso no decorrer do concurso a comissão organizadora possa adquirir patrocínios, os prêmios serão mais pomposos com a realidade do concurso. 

9.8. Não será permitido empate. 

10. Disposições Gerais: 

10.1. Honestidade, transparência e simplicidade são as marcas deste Projeto que no ano de 2018 fará 16 anos. 

10.2. O PROJETO POESIARTE se reserva no direito de publicar os poemas dos três primeiros colocados no blog do concurso, ficando explícito que o ato de inscrição através da ficha implica em autorização para publicação. 

10.3. Os autores dos poemas publicados serão automaticamente avisados por via e-mail. 


Cabo Frio, 12 de abril de 2018. 

Rodrigo Octavio Pereira de Andrade (Rodrigo Poeta) 
Coordenador e idealizador do Concurso POESIARTE 

domingo, 20 de agosto de 2017

DADOS DO XI° CONCURSO POESIARTE 2017 (PARTE 04)


DADOS DO XI° CONCURSO POESIARTE 2017 
(PARTE 04)

*Foram 373 inscritos de todo o Brasil e dos seguintes países estrangeiros: Venezuela, Itália, Japão, Portugal e Moçambique.
*Observação somente os 20 primeiros colocados estão em ordem de colocação no concurso, pois foram os finalistas a serem avaliados pelos jurados.

301-Lenys Soto.
Poema: Na pista.
Cidade: Sucre – Venezuela.

302-Rafael Albino.
Poema: 5h42.
Cidade: São Paulo/SP.

303-Rafael Angel.
Poema: Muros.
Cidade: Curitiba/PR.

304-Rafael Duarte.
Poema: Camisa rota marcada de saudade.
Cidade: Uberlândia/MG.

305-Rafael Neves.
Poema: De jejum.
Cidade: Itacoatiara/AM.

306-Rafaela Souza.
Poema: Haicai.
Cidade: Jaboatão dos Guararapes/PE.

307-Raoni Telles.
Poema: Rua, amargo lar.
Cidade: Santos/SP.

308-Raquel Matos.
Poema: Restos humanos.
Cidade: Goiânia/GO.

309-Reginaldo Nascimento.
Poema: Cortinas escuras.
Cidade: Fortaleza/CE.

310-Reinaldo da Silva.
Poema: Eu te vejo e você não me vê.
Cidade: Brumadinho/MG.

311-Rejane Aquino.
Poema: Retrato XXXIII.
Cidade: Feira de Santana/BA.

312-Renan Saab.
Poema:  Andarilhos da vida.
Cidade: Londrina/PR.

313-Renata Cristina.
Poema: Sujeitos sem visibilidade.
Cidade: Tabatinga/DF.

314-Renato Rivello.
Poema: Olhos treinados.
Cidade: São José do Calçado/ES.

315-Rian Edmaster.
Poema: Distantemente próximo.
Cidade: Mariluz/PR.

316-Ricardo Candian.
Poema: Consciência capital.
Cidade: Antônio Carlos/MG.

317-Ricardo Pocinho.
Poema: Cidades invisíveis.
Cidade: Maranguape/CE.

318-Ricardo Guedes.
Poema: Moradores de rua.
Cidade: Araruama/RJ.

319-Rita Maria.
Poema: A culpa da lua.
Cidade: Vila Nova de Gaia – Portugal.

320-Antonia Robevania.
Poema: Anjos de rua.
Cidade: Fortaleza/CE.

321-Osvaldo Copertino.
Poema: Cidade.
Cidade: Vilhena/RO.

322-Robison Silva.
Poema: Atenção!
Cidade: Coaraci/BA.

323-Rodrigo Alves.
Poema: Versos e lágrimas.
Cidade: São Paulo/SP.

324-Rodrigo Lychwski.
Poema: A pobre e aos pombos.
Cidade: *********

325-Roger Conceição.
Poema: Moradores de Rua.
Cidade: São Pedro da Água Branca/MA.

326-Ronaldo Dória.
Poema: O resto.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

327-Roque Aloísio.
Poema: Cruel escalada.
Cidade: Santa Rosa/RS.

328-Rosa Lia Maia.
Poema: Homem digno.
Cidade: Belém/PA.

329-Rosa Serodio.
Poema: Trilhos do amor.
Cidade: Aveiro – Portugal.

330-Rosentina Santos.
Poema: O mendigo.
Cidade: *********

331-Rosimeire de Paula.
Poema: Cidade de quem.
Cidade: Santo Estevão/BA.

332-Ruan Rodrigues.
Poema: Só lhe dão.
Cidade: Belém/PA.

333-Rudnei Antonio.
Poema: Morador de rua.
Cidade: Santa Maria/RS.

334-Rui Tojeira.
Poema: Aqui, nesta cidade dos outros...
Cidade: Marina Grande – Portugal.

335-Sabrina Garcia.
Poema: Gente invisível: moradores de rua.
Cidade: Piracicaba/SP.

336-Samara Cristina.
Poema: Enxergar-me, enxerga-se, enxergar.
Cidade: Fátima/BA.

337-Sandra Cristina.
Poema: Sonhos da criança que brinca.
Cidade: Figueira da Foz – Portugal.

338-Sara Marina.
Poema: Do homem que vi sentado no edifício Monumental.
Cidade: Póvoa de Santa Iria – Portugal.

339-Sara Rodrigues.
Poema: Invisível.
Cidade: Camapuã/MS.

340-Sena Siqueira.
Poema: Na minha rua não há tabacaria.
Cidade: Brasília/DF.

341-Shelry Abilene.
Poema: A margem.
Cidade: Esmeralda/MG.

342-Sibelita Pinheiro.
Poema: Ninguéns.
Cidade: Maringá/PR.

343-Sidnéya Day.
Poema: Mendigo.
Cidade: Niterói/RJ.

344-Silmayra Pinto.
Poema: O sete a um.
Cidade: São Luís/MA.

345-Silvia Ferrante.
Poema: Flagelo.
Cidade: São João da Boa Vista/SP.

346-Simão Diego.
Poema: Uma vida, uma história.
Cidade: Jaguaribara/CE.

347-Soeli Tiegs.
Poema: Hora do almoço.
Cidade: Curitiba/PR.

348-Solange Firmino.
Poema: Abandonados.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

349-Tatiane Correia.
Poema: Eu não existo.
Cidade: Salvador/BA.

350-Suelane dos Santos.
Poema: Socorro.
Cidade: Salvador/BA.

351-Sueli Rodrigues.
Poema: Morador de rua.
Cidade: Florianópolis/SC.

352-Suely Sabino.
Poema: Cidade invisível.
Cidade: Coronel Fabriciano/MG.

353-Suramy dos Santos.
Poema: Soneto da Exclusão.
Cidade: Niterói/RJ.

354-Susana Savedra.
Poema: Ruídos da rua.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

355-Tabata Miranda.
Poema: As ruas não nos tornam invisíveis são as pessoas que passam nelas.
Cidade: São Paulo/SP.

356-Tailine Ortiz.
Poema: Reflexo da alma.
Cidade: Campos Novos/SC.

357-Tatiana Barduco.
Poema: Aos olhos do mundo.
Cidade: São Paulo/SP.

358-Otávio Augusto.
Poema: Alameda das rosas.
Cidade: Bauru/SP.

359-Tereza Du’Zai.
Poema: Êxedos.
Cidade: Balneário Piçarras/SC.

360-Tereza Sidrone.
Poema: Moradores de rua.
Cidade: Recife/PE.

361-Thalita Cini.
Poema: Olhos vendados.
Cidade: Franco Morato/SP.

362-Thayna de Santana.
Poema: A.
Cidade: Recife/PE.

363-Thiago Oliveira.
Poema: A sombra do mundo.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

364-Thiago Alexandre.
Poema: Sebastião.
Cidade: Ceará Mirim/RN.

365-Thiago de Paula.
Poema: Esperança.
Cidade: Piracicaba/SP.

366-Tiago Oliveira.
Poema: Implosão.
Cidade: Macapá/AP.

367-Valéria Pisauro.
Poema: Notícias do mundo.
Cidade: Campinas/SP.

368-Valmir Inácio.
Poema: Baldio.
Cidade: São Paulo/SP.

369-Vinícius Maganha.
Poema: Corações indigentes.
Cidade: Araraquara/SP.

370-Vitor Hugo.
Poema: Cidade invisível pelo cotidiano.
Cidade: Pelotas/RS.

371-Vitor Miranda.
Poema: A poesia mais linda.
Cidade: São Paulo/SP.

372-Viviane Peter.
Poema: Pingentes.
Cidade: Porto Alegre/RS.

373-Wagner Trindade.
Poema: Morcego.
Cidade: Campo Grande/MS.

sábado, 19 de agosto de 2017

DADOS DO XI° CONCURSO POESIARTE 2017 (PARTE 03)


DADOS DO XI° CONCURSO POESIARTE 2017 
(PARTE 03)


*Foram 373 inscritos de todo o Brasil e dos seguintes países estrangeiros: Venezuela, Itália, Japão, Portugal e Moçambique.
*Observação somente os 20 primeiros colocados estão em ordem de colocação no concurso, pois foram os finalistas a serem avaliados pelos jurados.

201-Josué da Silva.
Poema: Diálogo.
Cidade: Paracatu/MG.

202-Juliana Aguiar.
Poema: Invisíveis.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

203-Francisco Bandeira.
Poema: Pobre Mendigo!
Cidade: Fortaleza/CE.

204-Jusberto Cardoso.
Poema: Sinhá Olímpia.
Cidade: Ouro Preto/MG.

205-Karina Issamoto.
Poema: Dia de Chuva.
Cidade: Taubaté/SP.

206-Karine Bassi.
Poema: Esquecidos pelo Sistema.
Cidade: Belo Horizonte/MG.

207-Karine Cardoso.
Poema: Quando as luzes se apagam.
Cidade: Januária/MG.

208-Klein Cunha.
Poema: Poema de um Natal acontecido.
Cidade: Barra Mansa/RJ.

209-Laís de Melo.
Poema: Esquecida.
Cidade: Belo Horizonte/MG.

210-Larissa Pereira.
Poema: Ponto de Vista.
Cidade: ********

211-Laura Assis.
Poema: No sinal.
Cidade: Juiz de Fora/MG.

212-Lélia Alice.
Poema: Sobre-vivência.
Cidade: Rio Claro/SP.

213-Leonardo William.
Poema: Fruto da desigualdade.
Cidade: Sorocaba/SP.

214-Leônidas de Souza.
Poema: Ovelha perdida...longe de rebanho.
Cidade: Osasco/SP.

215-Letícia Queiroz.
Poema: O silêncio social.
Cidade: Brasília/DF.

216-Lidiane Santana.
Poema: Garoa salgada.
Cidade: Mauá/SP.

217-Lilian Porto.
Poema: Filhos do silêncio.
Cidade: São Luís/MA.

218-Josivaldo Lima.
Poema: Abandonado.
Cidade: Parauapebas/PA.

219-Lindberg  Albuquerque.
Poema: Foto de Rua.
Cidade: Cabo Frio/RJ.

220-Liz de Castro.
Poema: Sombras escassas.
Cidade: Fortaleza/CE.

221-Luan Eduardo.
Poema: Estrelas desprovidas.
Cidade: Sertãozinho/SP.

222-Lucas de Souza.
Poema: Lágrimas de chuva.
Cidade: Três Lagoas/MS.

223-Lucas Santos.
Poema: Amanhecer solitário.
Cidade: Monte Santo/MG.

224-Luciana Abreu.
Poema: Situação de rua.
Cidade: Niterói/RJ.

225-Luciana Rugani.
Poema: Um irmão que mora nas ruas.
Cidade: Cabo Frio/RJ.

226-Luciano Prado.
Poema: Pivete.
Cidade: Belford Roxo/RJ.

227-Lúcio Júnior.
Poema: Órbita-sonho.
Cidade: Tatuí/SP.

228-Ludmila Oliveira.
Poema: Coração invisível.
Cidade: Cabo Frio/RJ.

229-Luís Amorim.
Poema: Cidade invisível.
Cidade: Oeiras – Portugal.

230-Luiz Gonzaga.
Poema: Estrelas nuas.
Cidade: São Luís/MA.

231-Luiz Jordão.
Poema: Penumbra.
Cidade: Penha/SC.

232-Maira Trentin.
Poema: Insônia.
Cidade: Atibaia/SP.

233-Malena dos Santos.
Poema: Ali, não existia olhar.
Cidade: São Bernardo do Campo/SP.

234-Manoel da Silva.
Poema: Moradores de ruas caladas.
Cidade: Feira de Santana/BA.

235-Marcela Breve.
Poema: O meu não mundo.
Cidade: Santa Rosa de Viterbo/SP.

236-Marcelo de Oliveira.
Poema: A mendiga esclarecida.
Cidade: Salvador/BA.

237-Márcia Bastian.
Poema: Trapos.
Cidade: Caixas do Sul/RS.

238-Marcila Almeida.
Poema: Sou invisível.
Cidade: Barra de Santana/PB.

239-Marcio Silva.
Poema: O amigo do Thomas.
Cidade: Florianópolis/SC.

240-Marcos Antônio.
Poema: Cidade invisível: moradores de rua.
Cidade: Barras/PI.

241-Marcos Porto.
Poema: O invisível conspícuo.
Cidade: Arraial do Cabo/RJ.

242-Marcelo Feres.
Poema: Da janela do trem vi o cachorro e o menino sob uma passageira marquise.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

243-Maria Ana.
Poema: Poucos exercem algo útil.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

244-Maria Aparecida.
Poema: Que os anjos ouçam.
Cidade: Guarulhos/SP.

245-Maria Aparecida Fontenele.
Poema: Cidade invisível: moradores de rua.
Cidade: São Paulo/SP.

246-Maria Arlinda.
Poema: O olhar de quem vê.
Cidade: São Luís/MA.

247-Maria Coquemala.
Poema: Clamor.
Cidade: Itararé/SP.

248-Maria de Jesus.
Poema: Minha indignação.
Cidade: Viana/MA.

249-Maria Dolores.
Poema: Não sou invisível.
Cidade: Uberaba/MG.

250-Maria Lúcia.
Poema: Refúgio.
Cidade: Fortaleza/CE.

251-Maria Luiza.
Poema: Adonis.
Cidade: São Paulo/SP.

252-Maria Salete.
Poema: Invisíveis sofredores.
Cidade: Santa Maria/RS.

253-Mariana Araújo.
Poema: Espelho meu.
Cidade: Arraial do Cabo/RJ.

254-Mariana Godoy.
Poema: Apartamento em Higienópolis.
Cidade: Santo André/SP.

255-Marina Nascimento.
Poema: O invisível.
Cidade: Belém/PA.

256-Marinho Júnior.
Poema: Aquele que sou.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

257-Mario Cesar.
Poema: Amigo.
Cidade: Niterói/RJ.

258-Marli Ortega.
Poema: Dorme Isabel.
Cidade: São Paulo/SP.

259-Marven Franklin.
Poema: Espaço descolorado.
Cidade: Oiapoque/AP.

260-Mauro Martiniano.
Poema: Menino de rua.
Cidade: São Paulo/SP.

261-Mauro Russo.
Poema: No seu caminho.
Cidade: Taubaté/SP.

262-Miguel Lima.
Poema: Lavadouro.
Cidade: Cabo Frio/RJ.

263-Milena da Costa.
Poema: Um olhar.
Cidade: Cabo Frio/RJ.

264-Mirianne Costa.
Poema: Memoriando os dias.
Cidade: Campo Grande/MS.

265-Moisés Barbosa.
Poema: Céu aberto.
Cidade: Comendador Levy Gasparian/RJ.

266-Mônica da Silva.
Poema: Debaixo do céu.
Cidade: Jacarezinhoi/PR.

267-Monica Regina.
Poema: Quem ti viu? Quem te vê?
Cidade: Praia Grande/SP.

268-Mozileni Neri.
Poema: Do preconceito.
Cidade: São Paulo/SP.

269-Murilo Melo.
Poema: Pobres d’alma.
Cidade: Jaguarari/BA.

270-Murilo Sila.
Poema: Haicai invisível.
Cidade: Aracaju/SE.

271-Naftaly Siqueira.
Poema: Uma vida entre o lixo.
Cidade: Serra dos Ventos/PE.

272-Nani Nascimento.
Poema: Quando.
Cidade: Cruzeiro/SP.

273-Natalino da Silva.
Poema: A luta.
Cidade: Muriaé/MG.

274-Nathan de Sousa.
Poema: Calma, Pero Vaz!
Cidade: São Gonçalo do Piauí/PI.

275-Nayara Ribeiro.
Poema: Ruas de terra.
Cidade: Palmas/TO.

276-Neldi Senger.
Poema: Quem se importa.
Cidade: Chapecó/SC.

277-Nercy Grabellos.
Poema: Morador de rua.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

278-Neusa Malu.
Poema: Procura.
Cidade: Pará de Minas/MG.

279-Newton Nazaré.
Poema: A rua é o seu lar.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

280-Nildo Jeans.
Poema: Relato de uma alma perdida.
Cidade: Curitiba/PR.

281-Nilton Silveira.
Poema: Iguais.
Cidade: Porto Alegre/RS.

282-Nilza Haydar.
Poema: Papelão.
Cidade: São Vicente/SP.

283-Nina Graeff.
Poema: Não moro.
Cidade: Porto Alegre/RS.

284-Odaléia Gomes.
Poema: Vejo.
Cidade: Taboão da Serra/SP.

285-Olidnéri Bello.
Poema: A cidade dos que não têm hora.
Cidade: Fortaleza/CE.

286-Olivaldo Júnior.
Poema: N’olho da rua.
Cidade: Mogi Guaçu/SP.

287-Paulo Roberto Oliveira Caruso.
Poema: À redenção de João.
Cidade: Niterói/RJ.

288-Patrícia Ferreira.
Poema: Invisível.
Cidade: Salvador/BA.

289-Patrícia Rodrigues.
Poema: Cidade invisível: moradores de rua.
Cidade: Sorocaba/SP.

290-Paulo Azevedo.
Poema: Seu José.
Cidade: Macaé/RJ.

291-Paulo Cezar.
Poema: Fria Metrópole.
Cidade: Rio de Janeiro/RJ.

292-Paulo Eduardo.
Poema: Até tocar seu coração.
Cidade: Brasília/DF.

293-Paulo Henrique.
Poema: Mais um Jesus.
Cidade: Muriaé/MG.

294-Paulo Ramos.
Poema: Atroz cidade.
Cidade: Trofa – Portugal.

295-Pedro Silva.
Poema: Não temer.
Cidade: São Paulo/SP.

296-Penha Maria.
Poema: Abandono.
Cidade: Arujá/SP.

297-Perpetua Amorim.
Poema: Herdeiros da rua.
Cidade: Franca/SP.

298-Philipe Sakai.
Poema: Moro num contêiner de lixo em frente ao seu condomínio de luxo.
Cidade: Foz do Iguaçu/PR.

299-Priscila Bueno.
Poema: Brasil’zão.
Cidade: Ubatuba/SP.

300-Priscila Macussi.
Poema: Amortecidos.
Cidade: Sorocaba/SP.