"Só com a leitura um povo pode se tornar forte em sua cultura." (Rodrigo Poeta)

sábado, 28 de novembro de 2009

12°lugar no III° Concurso POESIARTE



- 12°lugar no III° Concurso POESIARTE.
- Nome: Eraldo Souza dos Santos .
- Natural do Rio de Janeiro-RJ.
- Data de nascimento: 25 de fevereiro de 1991.
- Cidade em que representa: São Paulo-SP.
- Atividades: Estudante e poeta.



- 12°lugar com poema:


Crepúsculo

Depois de meio dia, caro, meia-noite,
teu torso enfim à minha janela espera,
minha carne enfim te encontra, aqui, ó fera,
fugido da senzala, livre do açoite!

Minha boca encontra o mármore núbio e cálido
o ocaso enfim revela a noite escura
o meu desejo rompe tu'alma pura
e a aurora chega; derrete o azul o ácido.

Meus lábios sugam tua pele nua
e enquanto o ébano balouça ao vento
meu deus, tu és meu deus, minha carne é tua.

Mas se teu feitor te atacas com açoite
e da terra úmida o sangue doce arqueja
é porque teu homem teme a escuridão da noite!

*Eraldo Souza dos Santos-São Paulo-SP.
*Pseudônimo: Olinda.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

11°lugar no III° Concurso POESIARTE



- 11°lugar no III° Concurso POESIARTE.
- Nome: Mabelle R. de Sousa .
- Natural do Rio de Janeiro-RJ.
- Data de nascimento: 21 de julho de 1990 .
- Cidade em que representa: Arraial do Cabo-RJ.
- Atividades: Estudante e poeta.



- 11°lugar com poema:

O voou da Beija-flor

Eu tinha uma vida perfeita,
Mas, ela veio e destruiu tudo.
Levou meu bem precioso.
Eliminou nosso lindo futuro.

O tempo foi nos afastando,
Hoje estou sem forças,
Para lutar contra o mundo,
Estou pior que um moribundo.

Disseram-me que seria fácil,
Para eles, era ter o dever cumprido,
Mas, para mim é ter meu coração partido.
Eu deveria tê-los impedido!

Bombardeio, armas e aflição,
Não consigo mais sonhar,
A guerra é uma punição,
Não posso mais você amar.

Como puderam fazer isso comigo,
Estou aos poucos morrendo,
Meu coração está sangrando,
Minha alma está desfalecendo.

Envenenaram-me aos poucos,
Fizeram-me acreditar em mentiras,
Fizeram-me esperar,
Por alguém que ao meu lado não iria mais acordar.

Tudo que há de bom,
Em meu peito não mais ficou,
Espero então à morte,
Ao reler a carta que me enviou.

Com a alma em sangue vivo,
não consigo encontrar nenhum adjetivo,
Para estas suas últimas palavras cheias de fulgor,
Mas vou lê-las com todo ardor:

“Se eu não conseguir voltar,
não quero ver você chorar,
Sei que guarda-me em seu peito,
Meu amor mais-que perfeito.

Sinto seu cheiro em cada alvorecer,
Cada vez mais presente em meu ser,
Cada vez mais vivo em meu pensamento.
Cada vez mais forte, meu amor, meu acalento!

Essas foram suas últimas palavras de dor,
Último suspiro de amor,
Não posso mais me opor,
Voou para longe, meu beija-flor.

Ganhamos à guerra,
E eu o que ganhei?
Cinzas e terra,
Ao meu lado nem a lei.

Não pude tê-lo em meu colo,
Nos seus últimos momentos,
Em meus pés , só o solo,
E em minha alma só o sentimento.

É por isso que escrevo este poema,
pois com metade do coração,
Tento esquecer dos problemas,
Tento sair de uma ilusão.

A separação que transformou,
Cada gota de saudade em dor,
Hoje é a minha maior motivação,
Para escrever esta carta de amor."

*Mabelle R. de Sousa – Arraial do Cabo-RJ.

*Pseudônimo: Borboleta.


sábado, 21 de novembro de 2009

10°lugar no III° Concurso POESIARTE



- 10°lugar no III° Concurso POESIARTE.
- Nome: Raquel Fadel.
- Natural de Santa Rita do Passa Quatro-SP .
- Data de nascimento: 4 de maio de 1962.
- Cidade em que representa: São Carlos-SP.
- Atividades: Professora e poeta.




- 10°lugar com poema:

*Rosto de mulher de Dudu Nogueira em nanquim.


RETRATO EM NANQUIM

Com traços em nanquim
Eu te “aceitei” e sonhei...
E se fosse mais colorido,
Alegre e festivo?

Pensei em traços modernos,
Foi assim que eu o desenhei.
Investi nas telas e nos pincéis.
Pintaria o verão, nunca o inverno.

Anulei estações, misturei cores.
Transformei o real em ilusões,
Eram minhas essas impressões.

As suas, impressas em nanquim,
Lembraram-me do negro do inferno;
Não pude mudar-te enfim!

*Raquel Fadel – São Carlos-SP.
*Pseudônimo: Paixão.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

9°lugar no III° Concurso POESIARTE




- 9°lugar no III° Concurso POESIARTE.
- Nome: Hélio José Déstro .
- Natural de Guapuã (Cristais Paulista-SP).
- Data de nascimento: 20/06/1935.
- Cidade em que representa: São Paulo-SP.
- Atividades: Poeta e escritor.



- 9°lugar com poema:



Declaração especial de amor a um ser fenomenal

Quero uma chuva de estrelas, para o meu capacete de pára raios.
O coração é uma pluma branca boiando.
Os sapatos asas de borboletas. A alma é um sopro de vento brando.
Meus braços são tentáculos, vão enrolar os sonhos em novelos.

Meu carrinho que roda...Que voa e...Navega.
Faço e refaço...Eu faço o tudo do nada.
Eu consigo tudo...Usando os meus pensamentos.

Vencendo os obstáculos com os meus amigos:
Meu cão, os meus botões, as bolinhas de gude e...
Os estilingue, uma poderosíssima arma de amor.

Jogo flores nas pessoas com perfumes, impregna odores.
Um esguicho d'água bem no centro da testa dos invasores.
Escorrendo tintas coloridas na face e na roupa.

Um feijão da atiradeira bem na ponta do dedão.
Minha espada cola a tua sombra no chão.
Nasce um filete de água, que bebo para matar a sede.

Eu sou é criança, navegue no meu barco à vela.
Singrando os mares do mundo...Eu sou é criança
- Quero a minha mãe e, dormir em teu colo.

Sou um menino e crescer em tempo total, acarinhado.
E gritar bem alto a todos que também tem e sabem
O valor de Ter...Mãe, e ser por ela amado.
Gritando na sabedoria de menino.


*Hélio José Déstro- São Paulo-SP.

*Pseudônimo: Sonhando.


sexta-feira, 6 de novembro de 2009

8°lugar no III° Concurso POESIARTE



- 8°lugar no III° Concurso POESIARTE.
- Nome: Alexandro Feitosa Silva (Alex Feitosa).
- Natural de Cabo Frio-RJ.
- Data de nascimento: 29/08/1986 .
- Cidade em que representa: Cabo Frio-RJ.
- Atividades: Poeta. Membro da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo-RJ. Membro do GRUPO PROCESSO DE POESIA. Membro dos POETAS DEL MUNDO.




- 8°lugar com poema:

As 17 faces de Brigitte Bardot

I

Aqui nos traços de Búzios vim parar
Com a beleza da terra de frente pro mar.
Nos olhos desse horizonte vejo minha imensidade
Essa terra de prazer de amor e muita saudade...

II

Oh! Meu Deus... Tende a me perdoar
Trago cabelos loiros e amor
Dentre beleza sol e calor
Aos seres desse habitar...

III

No céu vejo as nuvens me cobrirem
Dentro do ventre do paraíso.
Nessa península a minha vida começou a sorrir,
Foi aqui que saudades ficaram em sorriso...

IV

Nessa vida de adrenalina
Aqui vim ser curada.
Essa terra me fascina
E com os sonhos daqui, fui para “St. Tropez” sendo muito bem amada...

V

Em Búzios ela se sentou e deu um oi
Para a sua terra querida ela se foi,
Sendo simples meiga e objetiva
Brigitte Bardot deixou aqui uma marca viva...

VI

Em luzes de flashes a minha vida sorria
Durante a noite e durante o dia.
Em Búzios vim viver sonhos de outrora
Vendo o brilho das estrelas em noite afora...

VII

Com os traços da beleza sublime
Ela veio entregar-se ao vento
E que Deus sempre te ilumine
Com amor adquirido pelo conhecimento....

VIII

Cabelos balançando-os com a brisa do mar
Na fotografia preta e branca
Encantando todos que aqui vieram se encantar
Com distintos amores, que aqui vieram amar...

IX

Em águas claras cristalinas
Avista-se o fundo do mar.
Na terra pode-se ver ouro...
Em Búzios vê-se a Brigitte Bardot o verdadeiro tesouro...

X

Na aldeia tem os índios.
Do céu desceu a chuva
No fundo do mar encontram-se os peixes
E na Orla Bardot a linda Brigitte Bardot...

XI

Será lembrada eternamente
No passado ou no presente
Mesmo estando lá na França.
Aqui em Búzios concedeu o nascer da esperança...

XII

Com seu lindo encanto
A Búzios veio encantar
Com o sorriso em pranto
Essa terra ela veio abraçar...

XIII

Ali na frente tem a estátua dos pescadores
De redes de pescas e de muitos amores.
Aqui na Orla ela fica a beira-mar vendo às espumas
Com encanto da natureza olhando as brumas no mar...

XIV

Com traços de doçuras
Caminhava nas noites escuras
De alma e amor no peito
Vim para o local perfeito...

XV

No Ceará tem a estatua do “Padim Ciço”,
Em São Paulo tem a rainha do mar “Yemanjá”,
No Rio de Janeiro tem o “Cristo Redentor”
Em Armação dos Búzios tem a famosa estátua da “Brigitte Bardot”.

XVI

Aqui mesmo Brigitte Bardot
Viveu a época mais linda e querida
De toda a sua vida
Desde o momento de sua chegada
Até o começo de sua partida...

XVII

Diante do constante brilho da lua
Armação dos Búzios assim ficou famosa
Por receber aqui um lindo monumento.
Brigitte Bardot sempre formosa...

*Alex Feitosa - Cabo Frio-RJ.

*Pseudônimo: Dande.